Escolha o seu perfil:
Oficina
  • Distribuidor
  • Conductor

O líquido anticongelante VALEO Protectiv™

O líquido anticongelante VALEO Protectiv™
A importância do Líquido anticongelante

 

A transferência de calor é fundamental para o arrefecimento do motor, consumo de combustível e emissões de CO2. O circuito térmico é um sistema hidráulico complexo e sensível que requer um líquido anticongelante de alta qualidade. Desde o bloco até à cabeça do motor, passando pela bomba de água, radiador, termóstato, radiador de sofagem,  válvula EGR, permutador de calor,  o líquido anticongelante é que assegura a condutividade térmica, dissipando o calor do circuito térmico e protegendo todo o sistema contra sobreaquecimento, envelhecimento e degradação. Portanto, se não mantivermos um arrefecimento óptimo no veículo, as emissões aumentarão, perderemos desempenho em termos de potência do veículo e o consumo de combustível aumentará. Mais importante ainda, o risco de avarias dispendiosas irá aumentar.

Efeitos da utilização de líquido anticongelante inadequado

Água, líquido de má qualidade:

                

  • Pode produzir perfurações nas peças de alumínio e de ferro
  • Provoca a formação de irregularidades em zonas planas
  • Reduz a condutividade térmica e o arrefecimento eficiente
  • Produz resíduos que geram obstruções no circuito
  • Produzem resíduos que atingem e destroem o radiador de arrefecimento
  • Nível baixo a congelação (0º) -> presença de gelo no circuito
  • Baixo nível de ebulição (100º) -> presença de gás no circuito.

O líquido anticongelante deve, portanto, proporcionar uma protecção adicional:

 

  • Protecção do oxigénio. O oxigénio na água é o principal condutor da corrosão sobre metais no circuito de arrefecimento. As altas temperaturas promovem a libertação de oxigénio, pelo que o sistema deve ser protegido da presença de oxigénio. O oxigénio também afeta a condutividade do líquido anticongelante.
  • Protecção contra a corrosão por electrólise. Em líquidos anticongelantes de soluções aquosas, os metais reagem quimicamente uns com os outros, trocando partículas carregadas de corrente eléctrica que causam corrosão gradual.
  • Tensão parasita. A presença de corrente parasita entre duas superfícies onde não deveria existir tal tensão inicia o processo de corrosão grave, ou rachas por corrosão sob tensão, esta tensão é transferida através do líquido anticongelante de baixa qualidade como condutor da corrente.
  • pH correcto. O pH mede o grau de acidez ou alcalinidade do líquido anticongelante, num líquido com um pH inferior a 4, ou seja, ácido, o grau de corrosão é máximo, pelo que um refrigerante de qualidade deve tender para um pH máximo (até 10 de valor), ou seja, alcalino, para evitar a corrosão. Os líquidos de qualidade mantêm o pH na gama necessária para evitar a corrosão.

Um líquido anticongelante sem tais características produzirá,

  • Perfurações em componentes de alumínio e ferro
  • Formação de irregularidades sobre as partes lisas, é no que resulta letal para à vedação da bomba e a cabeça do motor
  • Redução da condutividade térmica e eficiência
  • Nenhuma redução de temperatura
  • Maior consumo, maiores emissões e elevada probabilidade de avarias
  • Produção de resíduos que geram obstruções no circuito
  • Produção de resíduos que ferem e destroem o radiador de arrefecimento
  • Baixo nível de congelação e a consequente probabilidade de gelo no circuito
  • Baixo nível de ebulição e presença de gás no circuito

O que deve ter um líquido anticongelante de qualidade?

 

  • Inibidor de corrosão. Quando a corrosão aparece, as partículas soltas circulam através do circuito, danificando os elementos do circuito (principalmente radiadores e bomba água). 
  • Inibidor  de espumas. Provocadas pela turbulência do sistema, são produzidas espumas que geram bolhas de ar, reduzindo o desempenho de arrefecimento e provocando a erosão dos componentes.
  • Inibidor de cavitação. As bolhas produzidas por um líquido anticongelante de má qualidade provocam ondas esféricas que "colidem" violentamente no circuito, um efeito chamado cavitação, danificando-o por golpes repetitivos. 
  • Inibidor de depósitos em superfície. Estes depósitos produzidos pelo líquido anticongelante de baixa qualidade permanecem aderidos às superfícies de contacto produzindo uma má vedação e, portanto, perdas de líquido.

 

 

           

 

O líquido anticongelante VALEO Protectiv™ assegura a máxima protecção do motor

 

  • Ao incorporar aditivos inibidores de corrosão orgânicos, prolongam a vida útil do líquido e protegem todos os componentes do circuito de arrefecimento da corrosão. 
  • Devido à sua elevada concentração de 50% de etilenoglicol, protege o seu motor a -35ºC e eleva o seu ponto de ebulição para 145ºC (à pressão do circuito), permitindo uma condutividade térmica máxima. 
  • Incorporando aditivos anti-espuma que impedem o aparecimento do fenómeno da cavitação. 

 

Limpeza do circuito e substituição do líquido anticongelante

 

Ao substituir o radiador de arrefecimento, é necessário limpar o circuito, especialmente se forem detectados resíduos sólidos no vaso de expansão, nos orifícios de entrada ou saída do radiador e no dreno da bomba de água.

Se o circuito não for devidamente limpo e for utilizado um líquido anticongelante inadequado, os resíduos permanecerão no circuito e poderão eventualmente causar avarias na bomba de água, no radiador e/ou aquecimento devido à corrosão ou projecção de partículas, bem como obstruções que levarão a um mau desempenho do circuito.

É obrigatório em cada intervenção SUBSTITUIR o líquido anticongelante para evitar manter no circuito líquido degradado, líquido de má qualidade e/ou presença de elementos que danifiquem o circuito (partículas). Devemos ter informações detalhadas do veículo para a escolha correcta do líquido anticongelante respeitando a concentração de etilenglicol e a presença de aditivos anti-corrosivos e anti-espumas.

O líquido anticongelante Valeo Protectiv™ cumpre as normas mais rigorosas dos fabricantes de veículos. Por isso, Valeo oferece uma vasta gama de líquidos anticongelantes com diferentes tecnologias para se adaptar às suas necessidades. 

 

VALEO Protectiv™ G12/G12+ (VW TL 774 D/F - MAN 324-SNF) 

Líquido anticongelante de longa duração preparado a partir de etilenoglicol e um pacote inibidor de corrosão de tecnologia orgânica. Não contém nitritos, aminas, fosfatos, silicatos ou borato. Graças à sua tecnologia orgânica, é especialmente concebida para proteger o radiador, a bomba de água e os vários metais encontrados no circuito de arrefecimento dos motores de combustão interna, incluindo alumínio e ligas leves, da corrosão e da ferrugem.

 

      

 

VALEO Protectiv™ G12++ (VW TL 774 G - MAN 324 Si-OAT desde 12/2011 - MB 325.5 desde 10/2011)

Líquido anticongelante de longa duração preparado à base de etilenoglicol e um pacote inibidor de nova geração que combina as vantagens dos inibidores orgânicos e as vantagens dos silicatos (tecnologia Si-OAT) alcançando alto desempenho e longa duração. Não contém nitritos, aminas ou fosfatos. A sua fórmula específica garante uma protecção duradoura contra a corrosão nos diferentes metais encontrados no circuito de arrefecimento dos motores de combustão interna, especialmente em ligas de alumínio e metais leves.

 

             

 

VALEO Protectiv™ G13 (VW TL 774 J)

Líquido anticongelante de longa duração de uso directo preparado com etilenoglicol e glicerina e um pacote inibidor de nova geração que combina as vantagens dos inibidores orgânicos e as vantagens dos silicatos (tecnologia Si-OAT) alcançando alto desempenho e longa duração.  Não contém nitritos, aminas ou fosfatos. A sua fórmula específica garante uma protecção duradoura contra a corrosão nos diferentes metais encontrados no circuito de arrefecimento dos motores de combustão interna, especialmente em ligas de alumínio e metais leves.


      

       

 

VALEO RECOMENDA

  1. Drenar o circuito antes de encher com líquido anticongelante VALEO Protectiv™.
  2. Limpar o circuito para remover resíduos de líquido anticongelante anteriores e remover possíveis contaminações metálicas para maximizar o desempenho do novo líquido anticongelante.
  3. Substituir o líquido anticongelante de 3 em 3 anos em automóveis de passageiros e de 2 em 2 anos em veículos comerciais e pesados.